Lugar de cientista também é na rua, com o povo

Diante dos recentes pronunciamentos do atual Governo Federal sobre os cortes nas diferentes áreas da Educação, Ciência e Tecnologia do país, diversas manifestações contrárias às medidas ocorreram (e ocorrerão) nos últimos dias em diversas cidades brasileiras. Uma iniciativa chamou a atenção: cientistas das universidades públicas e dos institutos de pesquisa do Estado de São Paulo foram à Avenida Paulista para mostrar à população o trabalho desenvolvido em suas pesquisas científicas.

O movimento foi organizado pelo Grupo Cientistas Engajados, formado em 2018 por pesquisadores da Universidade de São Paulo e hoje já conta com pesquisadores e docentes de diferentes universidades brasileiras. Segundo informações publicadas no website do grupo, “A finalidade do trabalho do grupo é aumentar a representatividade da ciência no cenário político do país, ampliando a visibilidade da área, fundamental para o Brasil e o mundo, e ampliando o diálogo da academia com a sociedade” [1]. Tem como integrante um dos cientistas mais conhecidos na atualidade, Walter Neves, biólogo, arqueólogo, e antropólogo evolutivo brasileiro, professor aposentado do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Foi responsável pelo estudo de Luzia, o esqueleto humano mais antigo do continente americano [2,3].

Segundo o blog da Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC), a “ação visa também fazer um contraponto à política de desinformação que está sendo colocada em prática para manchar a imagem dos pesquisadores perante a sociedade e, dessa forma, abrir espaço para a privatização das universidades e institutos” [4].

O ato foi uma oportunidade interessante de aproximar os cientistas da população, que muitas vezes não tem noção do que é pesquisado e como essas pesquisas impactam direta ou indiretamente suas vidas. Projetos relacionados com saúde pública, monitoramento ambiental e resíduos sólidos foram temas de discussão entre pesquisador e as pessoas que passavam pela Avenida Paulista, bem como o papel social que a universidade pública desempenha na sociedade.

É extremamente importante que iniciativas como essa possam ser divulgadas e estimuladas para que ocorram com mais frequência em outras partes do Brasil. Dessa forma, a população terá a oportunidade de acessar e entender a produção científica brasileira e assim começar a querer produzi-la também, se unindo ao coro contra a balbúrdia realizada por nossos governantes nos últimos meses.


Fontes:
[1] Página do Grupo “Cientistas Engajados”: http://cientistasengajados.com.br/
[2] Revista Piauí: “O evolucionista”- Bernardo Esteves, (nov2017) – https://piaui.folha.uol.com.br/materia/o-evolucionista/
[3] Walter Neves – Wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Walter_Neves
[4] Matéria sobre a manifestação no blog da APqC, (15mai2019): https://apqcnoticias.com/2019/05/17/cientistas-vao-a-av-paulista-neste-domingo-para-mostrar-suas-pesquisas/

Para saber mais sobre o Ensino Superior brasileiro:
Dados compilados pelo Nexo Jornal: https://www.nexojornal.com.br/index/2019/05/15/O-ensino-superior-brasileiro-em-dados-e-an%C3%A1lises

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.